AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS DE RESTAURANTES COMERCIAIS DA CIDADE DE ROLIM DE MOURA – RO.

Virginia Santini, Fernanda Rosan Fortunato Seixas

Resumo


Estabelecimentos de preparo e de comércio de alimentos assumem um papel importante na qualidade da alimentação da população urbana, sendo estes os principais locais onde ocorrem surtos de doenças transmitidas por alimentos (DTAs). Um método comumente utilizado para verificação da monitorizarão das Boas Práticas de Fabricação (BPF) é a lista de verificação ou check-list, que possibilita fazer uma avaliação preliminar das condições higiênico sanitárias de um estabelecimento produtor de alimentos. O objetivo deste trabalho foi avaliar as condições higiênicos – sanitárias de restaurantes comerciais na cidade de Rolim de Moura (RO), para tanto aplicou-se o check list com 112 itens de verificação distribuídos em avaliações de vários aspectos dos estabelecimentos. De acordo com o check-list aplicado para verificação das BPF, 100,00% dos estabelecimentos apresentaram não conformidades inferiores a 75%, sendo classificados como reprovados e, portanto, insatisfatórios para produção de alimentos seguros. Esses necessitam adequar-se imediatamente à Resolução RDC nº 216/2004 visando a qualidade de seus produtos e a saúde dos consumidores.


Texto completo:

PDF

Referências


AKUTSU, R. C. Adequação das boas práticas de fabricação em serviços de alimentação. Revista de Nutrição, Campinas, v. 18, n. 3, p. 419-427, jun. 2005. Disponível em: . Acesso em: 19 agosto de 2015.

ALVES, M.G.; UENO, M. Restaurantes self service: segurança e qualidade sanitária dos alimentos servidos. Revista de Nutrição, v.23, n.4, p.573-580, 2010.

ARAÚJO W. M. C.; CARDOSO, L. Qualidade dos alimentos comercializados no Distrito Federal no período de 1997-2001. Dissertação. Brasília: Universidade de Brasília; 2002.

AYRES, C. Avaliações das condições higiênicos – sanitárias de restaurantes comerciais de Porto Alegre, frente a legislação vigente. Higiene Alimentar, São Paulo, v. 17 n. 104, p. 16-17, 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004. Regulamento técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Diário Oficial da União, Brasília, 16 set. 2004. Seção 1, p. 25.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução RDC n. 275, de 21 de outubro de 2002. Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos.

CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMILOGICA – Manual de Investigação de surtos – Sistema de informação. São Paulo, 2015. Disponível em: http://www.cve.saude.sp.gov.br/htm/dta_menu.html. Acesso em 14 de setembro de 2015.

DAMASCENO, K. S. F. S. C.; STAMFORD, T. L. M.; ALVES, M. A. Vegetais minimamente processados: uma revisão. Higiene Alimentar, São Paulo, v. 15, n. 85, p. 20-25, 2001.

FREITAS, I. R. Avaliação das condições higiênico-sanitárias de preparo de alimentos em restaurante comercial de Palmas - TO. Higiene Alimentar, São Paulo, v. 17, n. 104/105, p. 77-78, 2003.

GENTA, T. M. S.; MAURICIO, A. A.; MATIOLI, G. Avaliação das Boas Praticas através de check-list aplicado em restaurantes self-service da região central de Maringá, Estado do Paraná. Acta Scientiarum Health Eciences, Maringá, v.27, n.2, p.151-156, 2005.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Doenças Transmitidas por Alimentos – Informações Técnicas. Acesso em 27 abr 2015. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/ saude/profissional/visualizar_texto.cfm?idtxt=31758.

NASCIMENTO, K. O.; SILVA, E. B. Avaliação das condições higiênico-sanitárias de panificadoras em Volta Redonda, RJ. Revista Nutrição em Pauta, São Paulo, v. 21, n. 157, p. 61-64, 2007.

OLIVEIRA, A. G. M.; COLARES, L. G. T.; LOPES, M. L. M. Verificação dos aspectos higiênico-sanitários de restaurante público popular do município do Rio de Janeiro. Higiene Alimentar, São Paulo, v. 21, n. 150, p. 446-447, 2007.

PROENÇA R. P. C.; SOUSA A. A.; VEIROS, M. B.; HERING, B. Qualidade nutricional e sensorial na produção de refeições. Florianópolis: UFSC, 2005.

ROSSI, C. F. Condições higiênico-sanitárias de restaurantes comerciais do tipo self-service de Belo Horizonte. 2006. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Minas Gerais, Programa de Pós Graduação em Ciências de Alimentos. Belo Horizonte.

SEIXAS, R. F.; SEIXAS F. R. J.; REIS, A. J.; HOFFMAN, L. F. Check-list para diagnóstico inicial das boas práticas de fabricação (BPF) em estabelecimentos produtores de alimentos da cidade de São José do Rio Preto (SP), 2008. Disponível em: www.revistaanalytica,com.br. Acesso em: 14 de setembro de 2015.

SERVICO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL – SENAC. Manual de elementos de apoio para o sistema APPCC. Rio de Janeiro: SENAC/Departamento Nacional, 2001.

SOUZA, S. S.; PELICIONI, M. C. F.; PEREIRA, I. M. T. B. A vigilância sanitária de alimentos como instrumento de promoção à saúde. Higiene Alimentar, São Paulo, v. 17, n. 113, p. 33-37, 2003.

UBOLDI EIROA, M. N. Investigação de surtos de toxinfecção bacteriana causado por alimentos processados. Coletânea do Instituto de Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 19, n. 2, p. 101-112, 1989.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Científica da UNESC