ANÁLISE COMPARATIVA ESTRUTURAL E QUANTITATIVA ENTRE LAJES MACIÇAS CONVENCIONAIS E NERVURADAS

Wesley Rafael Gomes

Resumo


As estruturas de concreto armado são construções grandemente difundidas no mercado brasileiro. Facilidade quanto a mão de obra para estruturas convencionais, preços aceitáveis e os produtos de fácil aquisição e transporte, quando estas estruturas são moldadas in loco. As lajes maciças convencionais foram as estruturas mais construídas em pavimentos nas décadas passadas. Atualmente, com a necessidade de vencer maiores vãos, foi necessário a implantação de outros tipos de sistemas estruturais, um desses sistemas é o de lajes nervuradas. Em virtude desses fatos, tem-se por objetivo analisar comparativamente os aspectos dos sistemas de lajes maciças convencionais e nervuradas, através dos esforços de momento e cisalhamento gerados, deformações e o consumo de aço e de concreto, sendo as lajes nervuradas construídas com Poliestireno Expandido (isopor). É de interesse ainda através deste trabalho, servir como base para outros projetistas que foram conceber estruturas semelhantes a comparada, vãos máximos de 8 m. O Cálculo do dimensionamento foi realizado com o auxílio de planilhas eletrônicas, e sendo utilizado para obtenção dos esforços das lajes em cruz a teoria de placas de Kirchhoff, porém, algumas modificações foram consideradas quanto ao valor de momento negativo nos apoios internos. As lajes armadas em uma direção, foram analisadas através do software educacional FTOOL para obtenção dos esforços de momento e cisalhamento. Através dos dados gerados, foi possível observar que a laje nervurada apresentou melhores valores para deformações finais (flechas) e quantitativos de aço, comparado a laje maciça. O volume de concreto nessa estrutura ficou bem parecido, haja vista que os vãos das lajes eram relativamente pequenos, garantindo viabilidade à laje maciça convencional nesta estrutura. Portanto, para uma análise mais detalhada, é necessário avaliar caso a caso, talvez o custo total da obra, com inclusão do consumo e custo de fôrmas, execução, mão de obra e ainda garantir o cronograma, possam levar a escolha de um sistema estrutural ou o outro. É importante ressaltar ainda que, para a utilização da laje nervurada, deve-se conceber o edifício com uma altura total maior, haja vista que a laje nervurada é em geral 50% maior que a laje maciça, sendo possível ainda reduzir diminuir o pé direito, caso seja possível e aceitável.


Palavras-chave


Análise Comparativa; Lajes Maciças; Lajes Nervuradas.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, J. M. Avaliação dos métodos simplificados para cálculo de lajes maciças apoiadas em vigas flexíveis. Revista Teoria e Prática na Engenharia Civil, Rio Grande: Ed. Dunas, n.12, p. .1-11, out. 2008. Disponível em: .

ARAÚJO, J. M. Curso de concreto armado. 4. ed. Rio Grande: Dunas. 2014. v. 1.

ARAÚJO, J. M. Curso de concreto armado. 4. ed. Rio Grande: Dunas. 2014. v. 2.

ARAÚJO, J. M. Curso de concreto armado. 4. ed. Rio Grande: Dunas. 2014. v. 4.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 6118: Projeto de estruturas de concreto - Procedimento. Rio de Janeiro, 2014.

CARVALHO, R. C.; FIGUEIREDO FILHO, J.R. Cálculo e detalhamento de estruturas usuais de concreto armado: segundo a NBR 6118:2014. 4. ed. São Carlos: EdUFSCar, 2014.

CARVALHO, R. C.; PINHEIRO, L.M. Cálculo e detalhamento de estruturas usuais de concreto armado. 1. ed. São Paulo: PINI, 2009. v. 2.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.