A PERCEPÇÃO DA ATUAÇÃO DO PSICOLOGO PELA POPULAÇÃO DA CIDADE DE CACOAL

Ricardo Alexandre Aneas Botta, Ingrid Stefani De Souza Ferreira

Resumo


O presente trabalho apresenta os aspectos de analise de percepção da atuação do Psicólogo para população de pessoas da cidade de Cacoal –RO

 

Em relação às representações sociais, Moscovici (2003), ao estudar cibernética, considerou que “ela parecia anunciar um novo tipo de ciência, unificando diferentes campos de conhecimento e reunindo pesquisadores tanto das ciências naturais, como das ciências humanas” (p. 315).

Esse estudo o levaria ao aprofundamento do conhecimento sobre a teoria da informação e da comunicação, aproximando-o, dessa forma, da idéia de representação social. Neste sentido, a Teoria das Representações Sociais (TRS) transpõe fronteiras disciplinares/conceituais, constituindo uma forma de conhecimento psicossocial particular da sociedade.

Por isso, nesta pesquisa, é importante rever, por exemplo, que “a finalidade de todas as representações sociais é tornar familiar algo não-familiar, ou a própria não-familiaridade” (Moscovici, 2003, p. 54) e “ao tornar-se próprio e familiar, o objeto é transformado e transforma” (p. 63).

Tomar ciência, também, de que esse processo implica num reajuste das categorias e sua reestruturação, a partir da incorporação de novos elementos. Processo este que se dá através da objetivação, quando se torna real um esquema conceitual (relaciona-se a imagem a contrapartida material, associando a palavra, idéia, conceito etc. à coisa); e ancoragem, quando “se transforma algo estranho e perturbador, que nos intriga, em nosso sistema particular de categorias” (p. 61).

Estudos sobre a representação social do trabalho do psicólogo iniciou-se com Weber (1991) que realizou um estudo com o intuito de verificar o estereótipo do psicólogo e da Psicologia. Doze anos depois, a pesquisa foi replicada na mesma cidade e comparada à primeira. Os sujeitos eram pessoas de ambos os sexos, “leigas” em psicologia entrevistados de maneira randômica, na  Curitiba-Paraná.

Descobriu-se, em sua pesquisa sobre estereótipo da Psicologia que 43% dos entrevistados identificam a Psicologia como um estudo ou conhecimento; 37,5% disseram que seu objeto de estudo são as pessoas/ ser humano/ personalidade; e, sobre o estereótipo do psicólogo que 53% identificam-no como um profissional/ terapeuta/ orientador; 55% responderam que este ajuda/ orienta/ conversa com as pessoas; 91,7% afirmaram que  procuriam um psicólogo e 75,8% conhecem alguém que já procurou um psicólogo, e os motivos que mais levam a procurá-lo são relacionados à família/relacionamentos (21%) e depressão/tristeza (21%). Quanto aos locais associados à imagem do psicólogo, 57,8% se referiram a vários lugares, como escola, clínica e empresa, mas ainda com um grande número de respostas voltadas especificamente para clínicas e hospitais (34,8%) (WEBER, 1991).

Buscando descobrir qual seria a representação social do trabalho do psicólogo na cidade de Cacoal e Rondônia, o objetivo dessa pesquisa  foi o de avaliar a percepção da atuação do psicólogo da população da cidade de Cacoal-RO


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.