PESQUISA DE LARVAS E OVOS DE ANCILOSTOMÍDEOS EM LOCAIS PÚBLICOS DE SERINGUEIRAS, RONDÔNIA.

Matheus Henrique Bragança, Cássio Antônio Lanfredi

Resumo


A dermatite serpiginosa ou popularmente “bicho geográfico” é uma infecção causada por larvas nematoides, comumente por Ancylostoma sp. A Larva migrans cutânea (LMC) é encontrada por toda parte onde se encontrem cães e gatos infectados por ancilostomídeos, contudo, a maneira que o solo se encontra pode abrigar e ser favorável para as larvas. O presente trabalho teve como objetivo analisar a presença de ovos e larvas de Ancylostoma sp. em amostras de areia coletadas em locais públicos no município de Seringueiras, Rondônia. As amostras de areia foram retiradas em quatro locais públicos, sendo, três escolas e uma quadra pública, no município de Seringueiras, Rondônia. A coleta foi realizada no período da manhã, e foram coletadas de 3 a 5 amostras distintas de cada local, em pontos úmidos, secos e escurecidos, totalizando em 16 (dezesseis) amostras. Os resultados foram apresentados através da análise descritiva, sendo realizada pela leitura dos percentuais, caracterizando presença ou ausência de ovos e/ou larvas de Ancilostomídeos. Foram analisadas 16 amostras de areia de 4 locais públicos, sendo três escolas e uma quadra no município de Seringueiras no Estado de Rondônia. Verificou-se a presença de larvas nas amostras em todos os locais e apenas um ovo em uma das amostras. A pesquisa aponta cerca de 43.75% positivo para presença de larvas. A presença de larvas foi observada em pelo menos um em cada amostra colhida correspondendo a 43.75% positivo para presença de larvas. A baixa percentagem de ovos de Ancylostoma spp., encontrada no presente trabalho pode ter sido decorrente da liberação das larvas do parasito de dentro dos ovos, ocorrida anteriormente a colheita das amostras ou durante o processamento das amostras. Com base nos dados estatísticos, conclui-se que 43.75% apresentaram positividade para larvas de Ancilostomídeos em escolas e quadra municipais. Sendo assim, há necessidade de controle e prevenção da contaminação por parasitos em areia de locais públicos para que as pessoas que estão em contato não venham adquirir a parasitose.


Palavras-chave


Ancilostomídeos; Bicho geográfico; Larva migrans cutânea

Texto completo:

PDF

Referências


REY, LUÍS. Bases da Parasitologia Médica. 3. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013. P. 250-261.

MIRANDA, P. H. S. Et al. Contaminação do solo de áreas de recreação infantil de creches públicas por Ancylostoma sp. e Toxocara sp. em Teresina-PI. Piauí, Brasil. Revista interdisciplinar, v. 8, n. 4, p. 93-98, out. nov. dez. 2015

NEVES, D. P.; et al. Parasitologia Humana. 12. ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2011. p. 505-517.

CHEN, A. A.; MUCCI, J. L. M. Frequência de contaminação por helmintos em área de recreação infantil de creches no município de Várzea Paulista, São Paulo, Brasil. Revista de patologia tropical, Vol. 41 (2): 195-202. abr.-jun. 2012.

NUNES, C. M. Ocorrência de larva migrans na areia de áreas de lazer das escolas municipais de ensino infantil, Araçatuba, SP, Brasil. Revista Saúde Pública, V. 34(6): 656-8. 2000.

BORGES, A. D. Presença de larva migrans em áreas de lazer nas creches, escolas infantis municipais e praças públicas de Salto de Pirapora, SP. Revista eletrônica de Biologia, V. 6 (1): 94-101, 2013.

MASCARENHAS, J. P.; DA SILVA, D. S. Presença de parasitos no solo das áreas de recreação em escolas de educação infantil. Pelotas, Rio Grande do Sul: Journal of Nursing and Health. V. 1(1):76-82. 2016.

GONÇALVES, F. A. et al. Estudo da Contaminação de Sedimento do Solo por Parasitas Humanos em 5 Praias do Sul da Bahia, 2010. In: PRITSCH, I. Z.; FRIGHETTO, M. OCORRÊNCIA DE GEOHELMINTOS EM AREIA DE LOCAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE VIDEIRA E ITÁ SC. Santa Catarina, Florianópolis: Revista Saúde Pública. v. 9, n. 1, p. 37-44, jan/abr. 2016.

PRITSCH, I. Z.; FRIGHETTO, M. OCORRÊNCIA DE GEOHELMINTOS EM AREIA DE LOCAIS PÚBLICOS MUNICIPAIS DE VIDEIRA E ITÁ SC. Santa Catarina, Florianópolis: Revista Saúde Pública. v. 9, n. 1, p. 37-44, jan/abr. 2016.

PALHA, F. et al. CONTAMINAÇÃO DO SOLO POR OVOS DE ANCYLOSTOMA SPP. E TOXOCARA SPP. EM PRAÇAS PÚBLICAS NO MUNICIPIO DE IJUÍ, RS, BRASIL. Ijuí, Rio Grande do Sul: UNIJUÍ, 2014.

BLAZIUS, R. D.; et al. CONTAMINAÇÃO DA AREIA DO BALNEÁRIO DE LAGUNA, SC, POR ANCYLOSTOMA SPP., E TOXOCARA SPP. EM AMOSTRAS FECAIS DE CÃES E GATOS. Laguna, Santa Catarina: Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. V. 35 nº. 3, de 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.