AVALIAÇÂO PSICOMOTORA DE DUAS CRIANÇAS COM IDADE DE CINCO ANOS LIGADAS A GENERO

Ricardo Alexandre Aneas Botta, Carolina Palma de Oliveira Andrade Palma de Oliveira Andrade, Deidiane de Oliveira Nunes, Ivandra Johanna de Carvalho Silva

Resumo


            

A psicomotricidade é definida como o campo transdisciplinar que investiga e estuda as relações e as influências, recíprocas e sistemáticas, entre o psiquismo e a motricidade.

            A motricidade é compreendida como o conjunto de expressões corporais, gestuais e motoras, não verbais e não simbólicas e o psiquismo é entendido pelo funcionamento mental, isto é, pelas sensações, as percepções, as emoções, representações, fantasmas, projeções e condutas relacionais e sociais.

            A psicomotricidade tem a intenção de estudar o homem nas suas relações com o corpo em movimento e a partir da intervenção psicomotora, o mesmo busque modificar a sua atitude em relação ao seu corpo como um lugar de sensação, expressão e criação.

            No entanto, uma das formas para se avaliar a dificuldade psicomotora é a utilização da bateria psicomotora (BPM) elaborada por Fonseca (1995), cujo objetivo é analisar o movimento em todos os seus aspectos (desejo, investimento afetivo, iniciativa, projeto  mental, qualidade da realização e seu valor relacional).

Perduram-se vários questionamentos sobre as diferenças de comportamento motor entre os sexos. Nunes (2009) afirma que os preconceitos em relação ao gênero causam rejeição sem reflexão e análise da cultura existente. A distinção dos gêneros acontece desde que as crianças nascem, uma vez que, culturalmente os meninos já são recebidos com bolas, carrinhos, skates; enquanto as meninas já são vistas com mais delicadeza recebendo bonecas e ursinhos. A cultura impõe que as meninas não devem brincar com atividades mais agressivas, como futebol, bicicleta, corridas de velocidade, entre outras atividades consideradas de meninos (Nunes, 2009). Nesse sentido, as habilidades motoras das meninas são caracterizadas por movimentações mais passivas, impondo certa desvantagem motora, o que torna os rapazes em geral mais habilidosos.

Pode-se considerar que não existe diferença entre o comportamento motor entre gêneros em crianças pré-escolares. Para Pérez (1994), a fase pré-escolar é a época da aquisição de habilidades motoras básicas, os movimentos fundamentais são considerados verdadeiros núcleos cinéticos para ambos os sexos.

Diante dessa afirmação O objetivo do presente estudo foi comparar o comportamento psicomotor de duas crianças (1 menina e 1 Menino) de cinco anos.

 


Palavras-chave


avaliação, gênero , psicomotricidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.