ACOMPANHANTES DE PACIENTES COM CÂNCER EM CACOAL: MANEJO DE ESTRESSE ATRAVÉS DE OFICINAS COGNITIVO-COMPORTAMENTAIS

Ricardo Alexandre Aneas Botta, Aline Moreira da Silva

Resumo


Numa perspectiva cognitivo-comportamental, no caso de acompanhantes de pacientes oncológicos ,os fatores de estresse são interpretados como uma interação indivíduo e ambiente, onde o impacto dessa interação é mediado pela avaliação cognitiva de cada evento estressor, ou seja, cada pessoa usa avaliação cognitiva de acordo com seus recursos psicológicos, culturais e sociais. De acordo com SILVA (2005) a avaliação cognitiva é entendida como cada pessoa categoriza as várias facetas da situação estressora e as usa para o seu bem-estar. Quatro processos são importantes nessa abordagem: a) o coping é uma interação entre pessoa e ambiente; b) sua função é controlar a resposta de estresses; c) os processos de coping dão uma conotação de avaliação, como esse processo está sendo percebido e interpretado cognitivamente; d) os processos de coping são esforços cognitivos e comportamentais nos quais os indivíduos administram a resposta de estresse de modo que ela reduza de intensidade. O objetivo do coping é minimizar a resposta de estresse. Diante destas informações,o  objetivo do projeto foi o de oferecer oficinas oferecendo formas cognitivas e comportamentais de enfrentamento de estresse a serem utilizadas, durante o acompanhamento de pacientes diante da fase da doença e do tratamento, que podem ser focadas tanto na emoção como no foco sobre o problema. As oficinas apresentarão atividades manuais, trabalhos artísticos e estéticos envolvendo também debates sobre questões ligadas ativação de estratégias de coping para melhora do estresse sobre os problemas atuais de cada acompanha


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.