RERREFINO DE ÓLEO LUBRIFICANTE: MERCADO, PRODUÇÃO E MEIO AMBIENTE.

Adoir Gotardo Júnior, Jennyfer Scarlet Clementino Leite, Leila Salina Vernal, Luan Felhipe dos Santos, Lucas Oliveira Lara, Ricardo Henrik Caparroz Jassek, Robert Goulart Mendes

Resumo


Em 2011 o Brasil consumiu 1.391.993,7m3 de óleo lubrificante, sendo o quinto maior consumidor e produtor do resíduo, comumente conhecido como “óleo queimado”, mas que em termos técnicos é chamado de Óleo Lubrificante Queimado ou Contaminado (OLUC). Desse total, apenas 35,81% é recolhido para reaproveitamento, número equivalente ao da Europa e dos Estados Unidos que também recolhem em média 35% de seu óleo lubrificante usado. Como o óleo brasileiro possui uma fração menor de óleos básicos (2% a 3%) se comparado ao óleo árabe (8%), necessita-se de exportação para produção do óleo lubrificante, ou seja, com o processo de rerrefino as importações diminuem cada vez mais, favorecendo a economia brasileira. No estado de Rondônia foi comercializado 13.805,7m³ de óleos lubrificantes, em que deste total apenas 20,55% são recolhidos para o rerrefino, o que representa um valor abaixo da média nacional. Fato esse se deve à produção agropecuária, que utiliza do OLUC para impermeabilização de estacas, cercas e mourões, o que além de inflacionar o preço do resíduo na região, torna-se uma fonte de poluição ao meio ambiente, além de prejudicar a saúde humana, tendo em vista diversos compostos altamente cancerígenos que estão contidos no OLUC, como arsênio e cromo hexavalente. Na legislação brasileira, são prescritas diversas normas e orientações de como proceder com o descarte, utilização e orientação empresarial, no que se refere às questões de legislação ambiental, a CONAMA, resolução 365/2005, criou um grupo de monitoramento permanente, que fiscaliza e regulamenta as empresas fabricantes e consumidoras em potencial. Visto que, o método de descarte previsto na legislação não é tão eficiente pelo fato de não haver leis que controlam tal prática. Diante disso, buscou-se através de pesquisas e estudos, produzir o óleo rerrefinado em laboratório, nas dependências da instituição (UNESC - Cacoal), na tentativa de se obter resultados satisfatórios como um bom rendimento, e tendo um custo relativamente baixo. O objetivo do trabalho foi alcançado: obteve-se o rerrefino do OLUC em laboratório. O Brasil tem uma necessidade de importar óleos básicos devido ao petróleo nacional ser pobre desse produto, por este motivo a prática de rerrefino do OLUC é tão importante, servindo não só como alternativa ambiental, mas também economicamente. O processo de rerrefino obtido no trabalho demonstra que é possível conciliar produção e meio ambiente em um único processo produtivo, além de possibilitar um ganho financeiro e uma grande ajuda ao meio ambiente, tendo-se em vista que retira um resíduo e o transforma para que retorne ao seu ciclo inicial. 


Palavras-chave


Rerrefino. Óleo Lubrificante. Produção.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.