ENSAIO DE CARACTERIZAÇÃO VISUAL DE BLOCOS CERÂMICOS DE VEDAÇÃO

Michele Silva Costa, MARIANE BARBOSA DE SOUZA, LIVIA MARIA TAVARES FONTANA

Resumo


O bloco cerâmico de vedação é um componente da alvenaria de vedação tendo a função de suportar seu peso próprio, não sendo utilizado para fins estruturais. A falta de padronização dos blocos com relação às dimensões e defeitos sistemáticos acarreta em dificuldade de assentamento do material, elevação de custo do serviço e geração de resíduos no canteiro de obras. Com o intuito de avaliar a conformidade de blocos cerâmicos e criar critérios para aceitar ou rejeitar um lote produzido surgiu a NBR 15270/2005. Nesta norma definem-se os ensaios a serem realizados para elevar a qualidade do produto fornecido pelas cerâmicas, sendo um dos ensaios constantes na norma o de caracterização visual, onde se aplicam os seguintes conceitos: os blocos devem ser fabricados de matéria-prima argilosa e queimados a altas temperaturas, devem trazer gravado em uma das faces externas a identificação do fabricante de forma a não interferir em sua função e não devem apresentar defeitos sistemáticos como quebras, rachaduras, deformações, superfícies irregulares e qualquer outro problema que prejudique seu emprego em construção. Assim, com o objetivo de avaliar o desempenho com relação as características visuais de blocos cerâmicos de uma fábrica da região de Pimenta Bueno ensaiaram-se treze blocos do tipo 6 furos prismáticos com dimensões de 9x14x24 cm, sendo as amostras escolhidas aleatoriamente de um mesmo lote. Os blocos foram dispostos em superfície plana e classificados. Primeiro, com relação a identificação do fabricante, que deveria estar localizada em uma das faces externas, possuir tamanho mínimo de 5 mm de altura e não interferir nas funções do bloco. Em segundo momento, os corpos de prova foram analisados em busca de defeitos que impedissem sua utilização, tais como rachaduras, trincas e deformações. Salienta-se que todos os blocos possuíam identificação apresentada, mas em alguns esta não estava totalmente visível, dificultando assim a associação do bloco ao seu fabricante. Constatou-se que 10 blocos possuíam diversos defeitos, alguns com trincas e rachaduras, outros com deformações nas arestas e nas faces externas, não sendo, portanto, adequados para uso. Assim como, a quantidade máxima de blocos com defeitos sistemáticos aceito pela norma é de 2 unidades e, com relação a identificação visual, a falta ou ilegibilidade do nome do fabricante é suficiente para a rejeição das amostras, pode-se concluir que o lote pesquisado não está adequado para utilização na construção civil.


Palavras-chave


Bloco cerâmico de vedação. Conformidade. Defeitos sistemáticos.

Texto completo:

PDF

Referências


NBR 15270/2005


Apontamentos

  • Não há apontamentos.